Tags

, , , , , ,


Alou, queridas leitoras que pensavam que eu tinha fugido!

Nãããããão, continuamos aqui, firme e forte, apenas um tanto quanto enrolada com as mil e uma atividades que uma mãe tem de administrar com suas múltiplas funções. Ah, porque eu esqueci de comentar que além de cuidar da bebê e trabalhar, eu inventei de fazer balé nas minhas inexistentes horas vagas. Mãe também é gente, oras, e falaremos disso num próximo post. Enquanto ele não chega, tratemos aqui de outro assunto igualmente importante: como utilizar seus dotes artesanais a favor de um quartinho de bebê lindo e econômico. Vamos lá.

Na gravidez, me deu a louca do “faça você mesma“. Não morria de amores pelos produtos prontos que encontrava em lojas de artigos infantis e, quando encontrava algo que realmente adorava, era caríssimo. Um roubo, eu diria. Foi assim que comecei minha peregrinação pela rua 25 de março e suas lojas de produtos de artesanato. Do começo ao fim da gravidez, lá íamos eu, meu fiel marido e minha barrigona de muitos meses, bater perna (inchada, no caso) por entre a multidão. Eu diria que não é a coisa mais aconselhável que uma grávida deve fazer. Eu voltava acabada, mas feliz com minhas comprinhas: caixinhas, porta-retrato, quadrinhos, tecidos das mais variadas estampas, tintas de todas as cores, rendas e enfeitinhos inúteis que nunca foram usados.

Das lembranças que guardo de minha gravidez, uma boa parte é do tempo que passei forrando caixinhas, pintando bandejas e criando quadrinhos. Não sou psicóloga, mas tenho cá meu palpite de que enquanto eu trabalhava pra deixar o quarto da Mabi bonitinho, por dentro também ia me estruturando para recebê-la. A medida que via suas coisinhas prontas, me sentia também mais pronta para assumir meu papel de mãe. E de alguma forma, mais consciente e resoluta para lidar com as mudanças que viriam pela frente. De caixinha em caixinha, fomos nos construindo. Ela lá dentro, eu aqui fora.

Bem, e o que resultou dessa atividade manual toda foi um quarto de bebê empesteado de caixinhas: algumas lamentáveis outras até que bonitinhas. Mas um de meus trabalhos entrou para o hall dos “memoráveis”, e é justamente esse quadro de ursinho que muito humildemente as ensino a fazer. Claro que em lojas de bebê você encontra uns bem mais sofisticados, mas não terá o grande diferencial de ter sido feito por você. Este aqui é barato e facílimo de fazer, eu agarantcho. Uma ida na 25 de março, meia hora de trabalho manual e… voilà!

quadro de ursinho para o quarto do bebê

Você vai precisar de:

  1. Ursinho fofo pequeno
  2. Aplique de resina para enfeitar o topo do quadrinho
  3. Tesoura
  4. Spray dourado multi-uso
  5. Cola branca
  6. Pedaço pequeno de tecido
  7. Um porta-retrato ou moldura de quadrinho do tamanho que quiser. (Não pode ser só a moldura, é preciso o suporte de trás para sustentar o ursinho).

Obs: os items 2 e 7 você encontra em lojinhas de artesanato.

Passo a passo:

Pinte a moldura do quadrinho ou porta-retrato e o aplique de resina com seu spray dourado e deixe secar por umas boas horas. Depois de seco, cole o aplique na moldura.
Na parte onde você fixará o ursinho (que geralmente serve para dar suporte às fotografias), passe uma camada fina de cola branca e forre com o pedaço de tecido. Não se preocupe em arrematar bem as bordas. Somos amadoras mesmo e ninguém aqui precisa fazer um trabalho ilustre, rs.
Feche seu porta-retrato com a parte forrada de tecido e, em seguida, é hora de colar o ursinho. Eu colei com cola branca mesmo. Coloquei uma boa quantidade no centro do quadrinho, posicionei o ursinho e deixei secando com um peso em cima de um dia para o outro. (Está bem fixo, mas imagino que exista uma forma mais profissional para fixá-lo.)

TCHARAM! Quadrinho pronto, minha gente. Use-o para decorar o quarto do bebê de todas as maneiras possíveis ;)

Com carinho,

Sofia